Área Militar

Curta a Fan Page: Martins Concursos

Siga no Twitter

WhatsApp

https://bit.ly/2v8OX0m 'Fale conosco'

sexta-feira, 15 de junho de 2018

Polícia Federal: Concurso Público 500 vagas Edital Publicado!


Polícia Federal: Concurso Público  500 vagas  Edital Publicado!

O edital do Concurso Público da Polícia Federal publicado hoje, 15 de junho de 2018, no Diário Oficial da União, que visa contratar 500 profissionais de nível superior, passa por sua primeira retificação.

Adquira sua Apostila e saia na frente!


Conteúdo Programático do cargo de Perito Criminal passou por alterações. Mais informações estão disponíveis nos editais em nosso site.

São oferecidas oportunidades nos cargos de:
Delegado de Polícia Federal (150)
Perito Criminal Federal (60)
Agente de Polícia Federal (180)
Escrivão de Polícia Federal (80)
Papiloscopista Policial Federal (30).

Dentre as funções oferecidas, há vagas destinadas aqueles que se encaixam nos requisitos disponíveis no edital.

Os contratados devem cumprir jornadas com carga horária de 40h semanais, e as remunerações podem variar de R$ 11.983,26 a R$ 22.672,48.

As inscrições são recebidas via internet, no endereço eletrônico www.cespe.unb.br entre às 10h do dia 19 de junho de 2018 até às 18h do dia 2 de julho de 2018, horário oficial de Brasília - DF. Para a participação ser efetivada, o candidato deve efetuar o pagamento da taxa nos valores de R$ 180,00 e R$ 250,00.

Os candidatos são submetidos as seguintes etapas: Prova Objetiva, Prova Discursiva, Exame de Aptidão Física, Prova Oral, Avaliação Médica, Avaliação Psicológica, Avaliação de Títulos, Prova Prática de Digitação e Curso de Formação Profissional, podendo variar de acordo com a função escolhida.

As avaliações objetivas e discursivas estão previstas para o dia 19 de agosto de 2018, assim discriminado no edital que está disponível em nosso site.

Vale ressaltar que a Avaliação de Títulos é destinada apenas aos cargos de Delegado de Polícia Federal e Perito Criminal Federal; a Prova Prática de Digitação é destinada apenas a função de Escrivão e a Prova Oral é aplicada em inscritos no cargo de Delegado de Polícia Federal.

Os aprovados e matriculados no Curso de Formação Profissional devem receber auxílio financeiro, na forma da legislação vigente, no valor de 50% do subsídio da classe inicial do cargo.

Este certame é válido por 30 dias, contados a partir da data de publicação da homologação do resultado final, podendo ser prorrogado, uma única vez, por igual período, conforme o item 23, subitem 23.29 do edital de abertura deste certame.
Jornalista: André Fortunato

segunda-feira, 11 de junho de 2018

Concurso Soldado Corpo de Bombeiros MG 500 Vagas!

 Publicada a resolução do Concurso para Soldado do Corpo de Bombeiros do Estado de Minas Gerais.

Adquira sua Apostila e saia na frente!



Último concurso CBMMG – Soldado

O último concurso foi destinado ao preenchimento de 500 vagas para o cargo de Soldado Combatente e 30 para Especialista, todas as carreiras para nível médio. Foram reservadas 50 vagas do cargo de Soldado para candidatos do sexo feminino.

O cargo de especialista foi dividido nas áreas de motomecanização e comunicações internas, com vagas nas seguintes especialidades: mecânico – motor à diesel (11); mecânico – motor à gasolina/álcool (2); eletricista de autos(2); técnico em computadores / rede de computadores (8); técnico em eletrônica (2); técnico em eletrotécnica (2); e técnico em telecomunicações (3).


Para a seleção é requisitado que os candidatos tenham, no mínimo, 18 anos e, no máximo, 30 anos, ensino médio completo, e altura mínima de 1,60m. O vencimento inicial é de R$ 3.506,40. Os candidatos precisaram passar pelas seguintes fases: prova objetiva; prova de redação em língua portuguesa; exames médicos; teste de capacitação física; teste psicológico; habilidades natatórias; e exame psicológico.

domingo, 10 de junho de 2018

Faça Curso Sequencial Nível Superior em 4 meses aceito pela PMMG



Adquira sua Apostila e saia na frente!

Mercado está cada vez mais competitivo, não há quem duvide da importância do diploma como pré-requisito para conquistar mais estabilidade na profissão, além de melhores faixas salariais, Um diploma significa mais autoestima, oportunidades de trabalho e inscrições em concursos públicos.

É um mundo que se abre para quem consegue se formar. Mas você sabe exatamente qual a importância da formação superior para a sua vida.

Qual diferença faz um diploma no mercado de trabalho. É o canudo que determina quanto um profissional vai ganhar.

De acordo com o IBGE, o profissional com diploma ganha duas vezes mais do que aquele que não apresenta curso superior.

Diversos cursos Presenciais e à Distância, A Faculdade Rápida oferece um ambiente de aprendizagem enriquecido que ajuda inúmeros alunos a conquistarem seus objetivos profissionais.

Segundo o MEC, os diplomas de cursos sequenciais de formação específica capacitam seus portadores a participar de concursos públicos nos quais o edital indique como exigência a posse de “diploma de nível superior”, sem discriminar se o diploma deve ou não ser de graduação.

Os editais da PMMG exigem apenas Curso Superior  de Escolaridade, então não perca tempo e siga em frete.





sábado, 9 de junho de 2018

Concurso PRF - Polícia Rodoviária Federal - Autorizado

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, revelou em entrevista coletiva no dia 28/02 que estão autorizadas 500 vagas para Polícia Rodoviária Federal. A boa nova é quanto a revelação do diretor-geral da PRF, Renato Dias, de que o edital sai até junho.

Adquira sua Apostila e saia na frente!

O anúncio foi feito na página do Facebook do próprio diretor. Além disso, foi informado pela PRF que o edital será divulgado logo quando for publicado a portaria qua autoriza o certame.

Se seu objetivo é se tornar um Policial Rodoviário Federal a hora de começar os estudos é agora, e para quem já começou, continue e intensifique ainda mais, pois especialistas em concursos afirmam que estamos há poucos MESES da prova. Sim!!! Pouco tempo! Mas suficiente para se dedicar bastante e ter uma preparação eficaz.


Vagas previstas também para Área Administrativa da PRF

O Diretor Geral da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Renato Dias, anunciou no dia 22 de Fevereiro de 2018, que encaminhará ao planejamento pedido para criação de 1500 vagas para área administrativa. o Anúncio foi feito na Assembléia Geral Extraordinária, em Brasília. Segundo o mesmo, as recentes ações da PRF renderam diversos elogios vindos de várias partes e de orgãos importante do governo, o que daria força para que o pedido seja aceito, já que com um efetivo maior a PRF poderia realizar feitos maiores.

Espera-se que a maior parte dessas vagas possam ser alocadas ao cargo de Agente Administrativo, que exige nível médio e tem ganhos de R$ 4.270,77. Esta é uma excelente notícia para quem deseja fazer parte da Polícia Rodoviária Federal, com as recentes manifestações, o edital pode ser divulgado em breve.

O próprio Renato Dias já deu alerta para o risco de colapso na corporação, caso o governo federal não autorize a realização do novo certame em breve. O mesmo alerta já foi dado também pelo TCU - Tribunal de Contas da União.

A redução no efetivo é o grande problema atual da corporação e afeta as ações operacionais da PRF em todo o país. Além do prejuízo nas ações operacionais, mais de 120 postos da Polícia Rodoviária Federal terão que ser fechados, com isso nada menos que 400 cidades serão prejudicadas com as desativações das unidades.

Recentemente a FenaPRF (Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais) esteve em reunião com o Senador Cássio Cunha Lima do PSDB-PB e também o diretor financeiro, Ricardo Sá, e o presidente do Sindicato dos Policiais Rodoviários de Brasília, Nivaldino Rodrigues. Durante a reunião o senador mostrou-se preocupado devido ao fato de que 30% do efetivo está em condições de se aposentar, e solicitou ao FenaPRFmais informações sobre quatitativo de pessoal para serem apresentados no próximo encontro previsto para ocorrer em alguns dias.

Quanto ganha um Policial Rodoviário?

Sancionada pelo presidente Michel Temer a lei nº 13371, que concede aumentos progressivos para a carreira de policial da Polícia Rodoviária Federal fixa inicial da carreira, a partir deste ano, no valor de R$ 9.491,98, já com o adicional. Além disso, a carreira contará com mais dois reajustes, em janeiro de 2018 e janeiro de 2019, com iniciais passando, respectivamente, para R$ 9.931,57 e R$ 10.357,88, com o atual valor do auxílio.

No topo da carreira os ganhos chegam a R$ 15.579,30, subindo para R$ 16.297,56 em 2018 e R$ 17.010,34 em 2019.
 
Quem pode fazer o concurso PRF?

Para concorrer ao cargo de Policial Rodoviário é necessário possuir curso de nível superior em qualquer área de formação, além de carteira de habilitação a partir da categoria “B”. As oportunidades serão para homens e mulheres de idade entre 18 e 65 anos.

A jornada de trabalho dos servidores é de 40 horas semanais.
Prova do último Concurso PRF

O último concurso realizado pelo órgão acontenceu no ano de 2013 e teve como banca organizadora o Cespe/UnB. Foram mais de 109 mil inscritos concorrendo com as 1.000 vagas ofertadas no edital.

Os candidatos foram avaliados por meio de provas objetivas, exame discursivo, teste de capacidade física, avaliação de saúde, avaliação psicológica, investigação social e análise de títulos. As provas objetivas versaram sobre as seguintes disciplinas:

    Língua Portuguesa;
    Matemática;
    Noções de Direito Constitucional;
    Ética no Serviço Público;
    Noções de Informática;
    Noções de Direito Administrativo;
    Noções de Direito Penal;
    Noções de Direito Processual Penal;
    Legislação Especial;
    Direitos Humanos e Cidadania;
    Legislação Relativa ao DPRF;
    Física aplicada à Perícia de Acidentes Rodoviários.

Concurso PF - Polícia Federal -Saiu a portaria autorizativa para 500 vagas


Saiu a portaria autorizativa para as 500 vagas para a Polícia Federal!! A distribuição das vagas agora é oficial!


Adquira sua Apostila e saia na frente!


Foi divulgada no Diário Oficial a portaria autorizativa para o Concurso da Polícia Federal 2018! Sendo ela considerada um dos entraves do Concurso que, segundo o Ministro da Segurança Pública, Raul Jugmann, deve ter os seu edital publicado até o junho deste ano. Com a portaria, a PF tem, a partir da data de publicação, seis meses para publicar o edital, ou seja, no máximo até outubro deste ano.

A autorização para o Concurso havia sido anunciada no dia 28 de fevereiro de 2018, pelo ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, ocasião na qual foi informado também que o Edital para o Concurso sairá ainda em 2018, porém ainda sem data definida.

Em reunião realizada no último dia 17 de abril, entre a FENAPEF e o diretor-geral da Polícia Federal, Rogério Galloro, foi confirmada a destribuição das 500 vagas informadas em oficio encaminhado pela FENAPEF a Galloro e ao Ministro de Segurança Pública, Raul Jungmann. O presidente da FENAPEF, Luís Antônio Boundes, informou, após o término da reunião do dia 17, que a distribuição das vagas foram confirmadas, porém, não houve muito detalhes a cerca do novo Concurso da PF.

No último dia 29/03 a FENAPEF (Federação Nacional dos Policiais Federais) havia enviado ofício ao ministro de segurança pública Raul Jungmann e ao Diretor Geral da PF, Rogério Galloro, pedindo uma posição definitiva em relação a distribuição das vagas, solicitando inclusive uma atenção as vagas para o Cargo de Escrivão. No documento, a informação do número de vagas é diferente da revelada anteriormente, com a seguinte distribuição que acaba de ser confirmada:
  • Agente Policial - 180 vagas;
  • Delegado - 150 vagas;
  • Perito Criminal - 60 vagas;
  • Escrivão - 80 vagas;
  • Papiloscopista - 30 vagas.
Com a confirmação, haverá um aumento nas vagas para os cargos de Delegado, Perito e Escrivão e uma diminuição de vagas para o cargo de Agente Polícia. Esta distribuição é diferente da que havia sido informada anteriormente, a qual contemplava as seguintes vagas por Cargo:
  • Agente Policial - 220 vagas;
  • Delegado - 140 vagas;
  • Perito Criminal - 50 vagas;
  • Escrivão - 60 vagas;
  • Papiloscopista - 30 vagas.
Além da pauta sobre a distribuição das vagas, o Concurso teve um novo avanço no Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPDG), quando teve o nível de acesso alterado de geral para restrito na divisão de concursos públicos, no último dia 02 de Abril de 2018.
Se seu objetivo é se tornar um Policial Federal a hora de começar os estudos é agora, e para quem já começou, continue e intensifique ainda mais, pois especialistas em concursos afirmam que estamos há poucos MESES da prova. Sim!!! Pouco tempo! Mas suficiente para se dedicar bastante e ter uma preparação eficaz.

A necessidade de profissionais só deve aumentar com o número de aposentadorias, que devido às mudanças previstas na reforma da previdência, cerca de 307 profissionais já tiveram seu benefício concedido até junho do ano passado. Segundo a federação já foram 258 aposentadorias na área policial, sendo 167 para o cargo de Agente, 46 para Escrivão, 29 para Delegado e 11 Perito. 

O Concurso PF 2018 está autorizado e, além, dos cargos que já eram previstos (Delegado e Perito), o Concurso da Polícia Federal 2018 vai contar com o cargo de Agente!

Com os reajustes salariais aprovados, os cargos de Delegado e Perito contou com aumentos, em janeiro de 2018 para R$ 23.130,48, e em janeiro de 2019, quando passará respectivamente para R$ 24.150,74, com os complementos, para jornada de trabalho de 40 horas semanais.
Diferente de outros órgãos que necessitam de autorização do Ministério para abertura de concursos, a Polícia Federal, com base no decreto n° 8.326, tem autonomia para autorizar novos certames, apenas necessitando da confirmação do MPDG quanto a existência de verba. Confirmação esta, que segundo a FENAPEF já saiu, agora é ficar de olho no edital! 

Quem pode fazer o concurso Polícia Federal - PF

Podem participar deste certame todos os candidatos que atendam aos requisitos de acordo com o cargo escolhido.

Delegado

O cargo de Delegado da Polícia Federal exige que o candidato possua formação de bacharelado em Direito, além de experiência mínima de três anos em atividade jurídica ou policial. Além disso é necessário carteira de habilitação, categoria "B". As atribuições direcionadas aos delegados da PF estão diretamente ligadas à classe a que o profissional está inserido.

A remuneração oferecida, após os reajustes aprovados, a um Delegado da PF varia de acordo com a sua classe, sendo assim, para a segunda categoria, cujo atual é de R$ 23.710,07 e passará para R$ 24.756,42 em 2019. Para a primeira categoria, que atualmente conta com R$ 27.105,60 em 2018 passará para R$ 28.304,74 em 2019. Finalmente, na classe especial, com R$ 28.720,24, o valor passará para R$30.062,70 em 2018 e R$ 31.394,91 em 2019.
A progressão profissional de um Delegado acontece ao longo dos anos de trabalho e servidor pode chegar ao último nível de classificação, que seria Classe Especial - Padrão III no período aproximado de 20 anos.

A carga horária de trabalho semanal para o Delegado da Polícia Federal será de 40 horas, onde o profissional irá trabalhar 24 horas seguidas e depois terá o descanso de 72 horas.

Perito

Para se candidatar a uma das vagas de Perito da Polícia Federal o concursando deve ter nível superior de formação em algumas das seguintes áreas:
  • Química;
  • Química Industrial;
  • Física;
  • Geologia;
  • Farmácia; 
  • Ciências Contábeis;
  • Ciências Biológicas;
  • Engenharia Civil;
  • Engenharia Ambiental;
  • Engenharia Elétrica;
  • Engenharia Eletrônica;
  • Engenharia de Redes de Comunicação;
  • Engenharia Mecânica;
  • Engenharia Mecatrônica;
  • Engenharia Química;
  • Engenharia Agronômica;
  • Engenharia Florestal;
  • Engenharia Cartográfica;
  • Engenharia de Minas;
  • Medicina Veterinária;
  • Ciências da Computação;
  • Processamento de Dados;
  • Análise de Sistemas;
  • Informática;
  • Sistemas de Informação;
  • Engenharia da Computação;
  • Engenharia de Telecomunicações;
  • Biomedicina;
  • Medicina;
  • Odontologia;
  • Ciências Econômica.
Além da formação de nível superior o candidato deverá possuir habilitação, no mínimo, categoria "B".
Assim como no cargo de Delegado os Peritos da PF têm suas funções e remuneração diretamente ligadas à classe à qual pertencem.
A remuneração do Perito da PF segue o mesmo padrão dos Delegados e é estabelecido de acordo com a classe de atuação do profissional, sendo R$ 22.655,68 na segunda categoria, R$ 25.897,24 para a primeira e na classe especial o servidor terá vencimentos de até R$ 31.394,91. 
A jornada de trabalho de um perito da PF, assim como no caso do cargo de delegado é de 40 horas semanais, sendo 24 horas de trabalhos seguidas e depois 72 horas de descanso.

Agente de Polícia Federal

O cargo de Agente são sempre muito concorridos, para Agente no último concurso realizado em 2014, foram registrados aproximadamente 100 mil inscritos. Para se candidatar a uma das vagas para ambos os cargos é preciso ter ensino superior completo em qualquer área de formação.
Com o reajuste que passou a vigorar a partir do último dia 1º, a remuneração inicial de Agente foi para R$11.897,86, já incluindo o auxílio-alimentação. O inicial sobe para R$ 12.441,26 em 2018 e para R$ 12.980,5 em 2019. Tantos os requisitos quanto os salários são os mesmos para Papiloscopista, cargo policial sem planos para concurso.

Agente Administrativo

Para concorrer a uma das vagas de Agente Administrativo da Polícia Federal o concursando deve ter nível médio de escolaridade completo. Para esse caso não há limite de idade. É importante lembrar que um Agente Administrativo da PF, apesar de atuar em um órgão policial não é um policial e que também esse profissional não terá porte de armas.
As principais atribuições de um Agente Administrativo da Polícia Federal estão em torno de atividades administrativas como contato com as autoridades de diversas hierarquias e o auxílio em atividades que visam a implementação de leis, regulamentos e normas referentes à administração geral e específica.


sexta-feira, 1 de junho de 2018

Os 10 erros de português mais cometidos pelos brasileiros


Os 10 erros de português mais cometidos pelos brasileiros



Vi no Facebook uma mulher dizendo que casaria com o primeiro homem que soubesse usar crase, mas não são só os homens que não sabem usar. As mulheres também!", alerta a linguista Camila Rocha Irmer, uma das encarregadas de avaliar os erros de português no Babbel, um dos maiores aplicativos de ensino de idiomas no mundo.

Ela se refere a um dos erros mais comuns entre falantes de português brasileiro - quando usar a crase? -, juntamente com as dúvidas sobre os "por ques" e outras.

"É algo difícil de explicar. Acho que esses erros acontecem porque há um abismo entre o que escrevemos e o que falamos", diz à BBC Brasil.

"Quem não lida com a escrita diariamente não se lembra das regras da norma culta. E, mesmo que as pessoas estejam dando mais opiniões nas redes sociais, é uma escrita rápida. Você não tem muito tempo para pensar sobre como escrever."

Há os "erros de sempre", mas Irmer afirma que existem também as questões que aumentam ou diminuem a cada ano. Em 2017, por exemplo, a dúvida sobre quando usar "há" e "a" apareceu mais vezes no aplicativo do que no ano anterior.

"Agora, estamos alcançando um público de menor escolaridade que não quer só aprender idiomas estrangeiros, mas tem problemas com português mesmo. E recebemos muitos recados, pelo aplicativo, de pessoas que estão aprendendo português ao estudar outra língua."

"A língua está mudando. Até tomamos cuidado de falar que esses são erros de escrita, para não termos um preconceito do tipo 'falar assim é errado'", alerta a linguista.

"Fala-se de diversas formas regionalmente, e isso é normal, mas quando chegamos na escrita, a preocupação é com a norma culta."

A pedido da BBC Brasil, a equipe de linguistas e educadores do Babbel fez um levantamento dos equívocos mais recorrentes entre os falantes de língua portuguesa no ano de 2017. Veja a lista:

1. "Entre eu e você"

O correto, segundo os especialistas, é usar "entre mim e você" ou "entre mim e ti". Depois de preposição, deve-se usar "mim" ou "ti".
Por exemplo: Entre mim e você não há segredos.

2. "Mal" ou "mau"

"Mal" é o oposto de "bem", enquanto que "mau" é o contrário de "bom". Na dúvida sobre qual usar? Os especialistas recomendam substituir o advérbio pelo seu oposto na frase e ver qual faz mais sentido.
Por exemplo: Ela acordou de bom humor; Ela acordou de mau humor.

3. "Há ou "a"

"Há", do verbo haver, indica passado e pode ser substituído por "faz".
Por exemplo: Nos conhecemos há dez anos; Nos conhecemos faz dez anos.
Mas o "a" faz referência à distância ou a um momento no futuro.
Por exemplo: O hospital mais próximo fica a 15 quilômetros; As eleições presidenciais acontecerão daqui a alguns meses.

4. "Há muitos anos", "muitos anos atrás" ou "há muitos anos atrás"

Usar "Há" e "atrás" na mesma frase é uma redundância, já que ambas indicam passado. O correto é usar um ou outro.
Por exemplo: A erosão da encosta começou há muito tempo; O romance começou muito tempo atrás.
Sim, isso quer dizer que a música Eu nasci há dez mil anos atrás, de Raul Seixas, está incorreta.

5. "Tem" ou "têm"

Tanto "tem" como "têm" fazem parte da conjugação do verbo "ter" no presente. Mas o primeiro é usado no singular, e o segundo no plural.
Por exemplo: Você tem medo de mudança; Eles têm medo de mudança.

6. "Para mim" ou "para eu"

Os dois podem estar certos, mas, se você vai continuar a frase com um verbo, deve usar "para eu".
Por exemplo: Mariana trouxe bolo para mim; Caio pediu para eu curtir as fotos dele.

7. "Impresso" ou "imprimido"

A regra é simples: com os verbos "ser" e "estar", use "impresso".
Por exemplo: Camisetas com o slogan do grupo foram impressas para a manifestação.
Mas com os verbos "ter" e "haver", pode usar "imprimido".
Por exemplo: Só quando cheguei ao trabalho percebi que tinha imprimido o documento errado.

8. "Vir", "Ver" e "Vier"

A conjugação desses verbos pode causar confusão em algumas situações, como por exemplo no futuro do subjuntivo. O correto é, por exemplo, "quando você o vir", e não "quando você o ver".
Já no caso do verbo "ir", a conjugação correta deste tempo verbal é "quando eu vier", e não "quando eu vir".

9. "Aquele" com ou sem crase

Em vez de escrever "a aquele", "a aqueles", "a aquela", "a aquelas" e "a aquilo", use "àquele", "àqueles", "àquela", "àquelas" e "àquilo".
Por exemplo: Maíra deu o número de telefone dela àquele rapaz

10. "Ao invés de" ou "em vez de"

"Ao invés de" significa "ao contrário" e deve ser usado apenas para expressar oposição.
Por exemplo: Ao invés de virar à direita, virei à esquerda.
Já "em vez de" tem um significado mais abrangente e é usado principalmente como a expressão "no lugar de". Mas ele também pode ser usado para exprimir oposição. Por isso, os linguistas recomendam usar "em vez de" caso esteja na dúvida.

Por exemplo: Em vez de ir de ônibus para a escola, fui de bicicleta.



sexta-feira, 11 de maio de 2018

Concurso Soldado PMMG 1900 vagas Autorizado !!!

A Câmara de Orçamento e Finanças (COF) autorizou essa semana o concurso para o preenchimento de 1900 vagas para soldado da Polícia Militar de Minas Gerais. 

Adquira sua Apostila e saia na frente!
Segundo informações, 1500 serão destinadas para c Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) e 400 serão para o interior do Estado.

Ainda não há data para a divulgação do edital, mas geralmente a PMMG não costuma demorar na elaboração do edital, que pode até sair no mês de maio, ou no início de junho, pois a previsão da PM é de que todas as fases do concurso sejam concluídas até janeiro de 2019, quando deverá iniciar o curso de formação.

São requisitos legais para ingresso na PMMG, previsto no art. 5º da Lei nº 5.301, de 16/10/1969: 
a) ser brasileiro(a); 
b) possuir nível superior de escolaridade; 
c) estar quite com as obrigações eleitorais e militares; 
d) ter entre 18 (dezoito) e 30 (trinta) anos de idade na data da inclusão. 
e) possuir idoneidade moral; 
f) ter altura mínima de 1,60m (um metro e sessenta centímetros); 
g) ter sanidade física e mental; 
h) ter aptidão física;  
i) ser aprovado em avaliação psicológica; 
j) não apresentar, quando em uso dos diversos uniformes, tatuagem visível que seja, por seu significado, incompatível com o exercício das atividades policial militar; 

k) não ter sido demitido da PMMG, de outra instituição militar estadual ou das Forças Armadas; não ter dado baixa no conceito "C" nos termos do Código de Ética e Disciplina dos Militares do Estado de Minas Gerais; não ter sido exonerado ou demitido da PMMG ou do Corpo de Bombeiros Militares de Minas Gerais com base no art. 146, incisos II, III, IV ou V, letra "a" e "caput" do art. 147, da Lei nº 5.301, de 16 de outubro de 1969.