Pesquisar este blog

Área Militar

Curta a Fan Page: Martins Concursos

Siga no Twitter

WhatsApp

http://whats.link/apostias

sexta-feira, 5 de abril de 2013

"PP' Premio Produtividade Garantido para 2013! Veja o Video e Aprenda a calcula-lo!




O DIM DIM será liberado caso os servidores alcançem as metas estabelecidas:Veja tabela abaixo.


Ao presidir a reunião com todo o secretariado, o governador Antonio Anastasia ressaltou o esforço do Governo de Minas, com base em planejamento, para que o Estado consiga se desenvolver como um todo e melhorar os indicadores.

“Nenhum outro estado da federação tem isso que nós apresentamos aqui. Um acompanhamento detalhado, comparativo, extremamente minucioso das políticas públicas. O que temos agora a determinar é a perseguição sem tréguas a essas metas de maneira bem objetiva, com base no planejamento que foi muito bem feito ao longo desses anos e que nos permite identificar as carências maiores. Temos que nos desdobrar para que os resultados sejam alcançados”, disse Antonio Anastasia.

O governador de Minas destacou que o Acordo de Resultados foi instituído em 2003 e, desde então, vem estimulando metas mais desafiadoras e ousadas, o que tem colocado Minas em lugar de destaque no cenário nacional e internacional, sendo reconhecida por organismos estrangeiros como modelo de administração pública. A grande missão é tornar Minas o melhor Estado para se viver. Para isso, é preciso, cada vez mais, prestar serviços de qualidade em consonância com os desejos e necessidades do cidadão, o que é previsto na pactuação de metas.


Desafios
A secretária de Estado de Planejamento e Gestão, Renata Vilhena, salientou que a pactuação das metas leva em consideração alguns cenários e conjunturas econômicas. “Toda vez que pactuamos uma meta ela tem que ter um desafio, porque senão não vamos pactuar. Por outro lado, ela tem que ser alcançável, porque senão desmotiva as pessoas. Elas têm que saber que todo desafio é possível de ser alcançado. Não posso pactuar uma meta que seria talvez o sonho para Minas Gerais, mas impossível de ser alcançável em curto prazo”, disse a secretária.

Renata Vilhena lembra que, em uma segunda etapa, o Acordo de Resultados prevê metas estipuladas para cada servidor em consonância com os ‘indicadores finalísticos’, atrelados ao Plano Mineiro de Desenvolvimento Integrado (PMDI), que contempla objetivos de longo prazo, para os anos de 2015, 2023 e 2030.

O diretor-presidente do Escritório de Prioridades Estratégicas, André Barrence, ressalta que uma das estratégias é comparar o desempenho de Minas com outros estados. “O nosso comparativo é sempre com quem está melhor entre os estados brasileiros. Em alguns dos indicadores, na educação, por exemplo, somos claramente melhores. Em outros, estamos em uma posição próxima dos principais, como é o caso da saúde. Outros, como a segurança, somos muito bons, somos o quarto melhor, mas sabemos que devemos melhorar, pois são indicadores que refletem diretamente na percepção do cidadão. Então o esforço claro é que nessas áreas que a sensação subjetiva do cidadão é mais sensível atuemos de forma mais incisiva”, completou.

Como é calculado o Prêmio por Produtividade

O valor da percepção do Prêmio que cada servidor irá perceber é calculado conforme a figura abaixo:


Alguns aspectos para o cálculo individual do prêmio por produtividade devem ser observados:

- Para fins de cálculo do Prêmio por Produtividade será contabilizado o valor da última remuneração, no ano anterior, percebida pelo servidor.

- Os dias efetivamente trabalhados são apenas aqueles em efetivo exercício somados às férias regulamentares, ou seja, qualquer tipo de afastamento (exceto as férias regulamentares) é excluído do cálculo (licenças e férias-prêmio, por exemplo, não são considerados dias de efetivo exercício).

- A equipe pela qual o servidor fará jus ao prêmio é a última em que ele esteve no segundo semestre do ano posterior ao ano avaliado.

O fator “Desempenho obtido nas metas por equipe do Acordo de Resultados” merece uma atenção especial. Observe o exemplo do servidor José abaixo:


A ilustração acima mostra o servidor José que pertencia à Equipe B e que obteve nota parcial de 9,5 na avaliação da 2ª Etapa do Acordo de Resultados. José acreditava que iria receber 95% da sua remuneração como pagamento do prêmio por produtividade, já que sua nota foi 9,5 em 10 e tinha trabalhado todos os dias.
Entretanto José recebeu menos que isso. Por quê? Isto ocorreu porque a nota da equipe não é o único fator que se leva em consideração para o cálculo. O resultado da avaliação institucional (1ª etapa) também influencia. Como? Caso a nota média das equipes seja superior a nota da avaliação institucional, a nota de cada equipe será reduzida proporcionalmente até que as duas venham a se equivaler.

José, entretanto, não entendeu porque é necessária essa ponderação. Isto ocorre porque não faz sentido no caso da Saúde, por exemplo, que as metas de mortalidade infantil tenham um resultado ruim e que a nota de um hospital tenha um resultado bom. Portanto, caso a nota da avaliação institucional seja menor do que a média das equipes, a ponderação da figura acima deverá ocorrer. 
Fonte Blog Renata Vilhena.
  Transformando Sonhos em Realidade
Veja as maetas das secretarias abaixo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário