Pesquisar este blog

Área Militar

Curta a Fan Page: Martins Concursos

Siga no Twitter

WhatsApp

http://whats.link/apostias

quarta-feira, 27 de novembro de 2019

Concurso PMMG 2020: Edital é autorizado 160 vagas para Tenentes ! R$ 10.028,33


A Polícia Militar de Minas Gerais foi autorizada a preencher 160 vagas no Curso de Formação de Oficiais (CFO);  

Para concorrer a uma das vagas no curso de Formação de Oficiais da Polícia Militar de Minas Gerais, o candidato deverá:  
a) ser brasileiro nato; 
b) possuir título de bacharel em Direito, obtido em estabelecimento reconhecido pelo sistema de ensino federal, estadual ou do Distrito Federal; 
c) estar quite com as obrigações eleitorais e militares; 
d) ter entre 18 (dezoito) e 30 (trinta) anos de idade na data da inclusão, prevista para o dia 26 de agosto de 2019; 
e) possuir idoneidade moral; 
f) ter altura mínima de 1,60m (um metro e sessenta centímetros); 
g) ter sanidade física e mental; 
h) ter aptidão física; 
i) ser aprovado em avaliação psicológica; 
j) não apresentar, quando em uso dos diversos uniformes, tatuagem visível que seja, por seu significado, incompatível com o exercício das atividades de policial militar; 
k) não ter sido demitido da PMMG, de outra instituição militar estadual ou das Forças Armadas; não ter dado baixa no conceito “C” nos termos do Código de Ética e Disciplina dos Militares do Estado de Minas Gerais; não ter sido exonerado ou demitido da PMMG ou do Corpo de Bombeiros Militares de Minas Gerais com base no art. 146, incisos II, III, IV ou V, letra “a” e “caput” do art. 147, da Lei nº 5.301/1969.
 
Etapas
O concurso da Polícia Militar de Minas Gerais Oficiais deve contar, conforme último edital, com as seguintes etapas:

Primeira Fase: provas de conhecimentos (objetiva e dissertativa);

Segunda Fase: Avaliações Psicológicas, Avaliação Física Militar (AFM) e Exames de Saúde (preliminares e complementares), Exame Toxicológico, Prova Oral e Prova de Títulos.


quinta-feira, 21 de novembro de 2019

03(Três) Motivos para fazer um Concurso Público


Trabalhar duro todos os dias e ganhar pouco, infelizmente é uma realidade da maioria da empresas de iniciativa privada. Você se esforça o mês inteiro, se dedica, trabalha horas a fio, chega o final do mês e a recompensa não vem. E muitas vezes você nem mesmo é reconhecido pelo seu esforço. Mas você precisa do emprego e não tem nada que possa fazer, sem falar que você não tem estabilidade nenhuma e pode ser demitido a qualquer momento.


Mas calma, a SOLUÇÃO pode estar bem na sua frente! O Concurso Público pode sanar todos esses problemas e definitivamente mudar a sua vida, veja 03(três) motivos para guiá-los!



Ganhar um salário justo e que recompense todo o seu esforço pode se tornar algo impossível em empresas de iniciativa privada, mas no concurso público a realidade é bem diferente. As remunerações são um grande atrativo e existem concursos que pagam salários muito maiores do que os mais altos executivos de empresas privadas ganham.

Quem trabalha em iniciativa privada sabe que pode ser demitido a qualquer momento, e pelos mais variados motivos, desde corte de gastos a “não precisamos mais dos seus serviços”. Mas se você assumir um cargo público, não é bem assim que funciona. Você conquista a sua vaga e só sai de lá se quiser ou for exonerado por um motivo muito, muito, muito grave. Sem falar que o seu salário vai estar na conta todos os meses e você poderá fazer seus planos para o futuro.

Ser um Policial Federal, um Analista ou Auditor da Receita Federal do Brasil, entre outros, além de garantir a sua mudança de vida, também te traz o orgulho em ter conquistado a tão sonhada vaga. Já que para ingressar na carreira pública, você precisa se dedicar aos estudos e o mérito será todo seu. E o orgulho não será só seu, mas de toda a sua família e amigos.

Conheça nosso site www.apostilasmartins.com.br e obtenha um conteúdo para realização de seus sonhos.



segunda-feira, 18 de novembro de 2019

Concurso PC RJ: saiu autorização para 864 vagas


Novo concurso PC RJ (Polícia Civil do Rio de Janeiro) contará com opções de níveis fundamental, médio e superior, com iniciais até R$ 18,1 mil

 O concurso PC RJ (Polícia Civil do Rio de Janeiro) está oficialmente autorizado. A publicação do aval por parte do governador Wilson Witzel, no diário oficial, ocorreu nesta segunda-feira, 11 de novembro.  Porém, o quantitativo será um pouco menor do que as 1.000 vagas inicialmente anunciadas por Witzel. Desta forma, a seleção contará com 864 postos, com opções para quem possui níveis fundamental, médio e superior. O início das publicações dos editais agora depende apenas da confirmação da banca organizadora, que deve ser escolhida em breve.  Desta forma, os interessados em ingressar na corporação devem ficar de sobreaviso


Para quem possui ensino fundamental, o concurso PC RJ (Polícia Civil do Rio de Janeiro)contará com 12 oportunidades para o cargo de auxiliar de necropsia. Para ensino médio, a seleção será para 16 postos de técnico de necropsia. Nesta categoria, agora também deverão ser consideradas as 118 vagas de investigador.

Por fim, para nível superior, o concurso contará com 597 oportunidades de inspetor de polícia,  54 de perito legista, 47 de delegado de polícia e  20 para perito criminal. Para inspetor será exigida formação em qualquer área, enquanto para delegado, os interessados deverão possuir formação na área de direito. Por fim, para perito legista, formação em medicina, bioquímica, odontologia e farmácia.

A remuneração inicial do perito é de R$ 8.469,34,  enquanto para delegado é de R$ 18.157,73, já considerando auxílio-alimentação de R$ 264. No caso de inspetor, R$ 6.280,31. Para técnico em necropsia, R$ 5.277,59 e para auxiliar de necropsia, R$ 4.506,27. Por fim, para investigador, o inicial será de R$ 5.000


A comissão do novo concurso PC RJ é presidida pelo secretário da corporação, Marcus Vinicius Braga, e conta, ainda, como membros, com o subsecretário de gestão administrativa, subsecretário de planejamento e integração operacional, subsecretário de inteligência, chefe de gabinete, corregedor geral da polícia e diretor da academia estadual de polícia Sylvio Terra.

Último concurso PC RJ - delegado

O último concurso PC RJ para delegado ocorreu em 2012, quando foram oferecidas 100 vagas. A banca, na ocasião, foi a Funcab.

O processo de seleção contou com provas objetivas, provas discursivas, avaliação de cunho oral, exame psicotécnico, prova de capacidade física, avaliação médica, investigação social, análise de títulos e curso de formação profissional.

A prova objetiva contou com 100 questões, sendo 20 de direito penal, 20 de direito processual penal, 20 de direito administrativo, 20 de direito constitucional, dez de direito civil e dez de medicina legal. Para direito civil e medicina legal, cada questão valeu dez pontos, enquanto para as demais disciplinas, cada questão valeu cinco.

Para a aprovação foi necessário atingir um mínimo de 50 pontos em cada disciplina, bem como na prova discursiva, que contou com três grupos, aplicados em dias diferentes.

O primeiro contou com quatro questões de direito penal e quatro de direito processual penal. No segundo, quatro de direito administrativo e quatro de direito constitucional.  No terceiro, quatro de medicina legal e quatro de direito civil



Concurso TJ RJ: divulgado regulamento para Técnico e Analista Judiciário


O concurso TJ RJ(Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro) deve sair até janeiro, segundo o presidente do órgão, desembargador Cláudio de Mello Tavares.

O novo concurso TJ RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro) para servidores tem divulgado o seu regulamento. Conforme documento publicado no Diário da Justiça Eletrônico, o certame contemplará vagas para os cargos de técnico e analista em diversas especialidades.


A seleção ofertará chances para técnico de atividade judiciária sem especialidade, com exigência de apenas certificado de ensino médio emitido por instituição reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC).

As demais oportunidades destinam-se ao posto de analista judiciário, que aceita candidatos com formação superior completa em várias áreas de atuação. Tais ofertas serão para as seguintes áreas:

Sem especialidade;
Contador;
Psicólogo;
Assistente social;
Comissário da infância, juventude e idoso;
Médico;
Médico psiquiatra;
Analista de negócios;
Analista de infraestrutura;
Analista de projetos;
Analista de segurança da informação;
Analista de gestão de TIC;
Analista de sistemas;
Execução de mandados.

No caso do técnico, a remuneração inicial será de R$ 5.556,06, enquanto para analista na área de execução de mandados será de R$ 9.072,05. Por fim, para analista nas demais áreas será de R$ 8.059,89.  


O número de oportunidades não foi divulgado no regulamento, porém, anteriormente, o presidente do TJ RJ, desembargador Claudio de Mello Tavares, afirmou que o edital terá cerca de 100 vagas, mais cadastro reserva de pessoal.

A previsão é de que o processo seletivo seja lançado entre dezembro de 2019 e janeiro de 2020.



terça-feira, 12 de novembro de 2019

Concurso Público com 600 vagas DEAP – SC

Candidatos devem se atentar para o novo horário de encerramento das inscrições e também para modificações em itens da prova.

A Secretaria de Estado da Administração Prisional e Socioeducativa do Estado de Santa Catarina (DEAP - SC) informa a todos sobre a retificação do Concurso Público a fim de contratar profissionais para o cargo de Agente de Penitenciário.
Adquira sua Apostila e saia na frente!
Os interessados em participar devem se inscrever até às 17h do dia 13 de novembro de 2019, no endereço eletrônico da empresa organizadora sap.fepese.org.br. Vale ressaltar que há taxa no valor de R$ 150,00.


Houve também modificação no conteúdo programático referente a parte de Direito Constitucional. E os candidatos aptos a frequentar o Curso de Formação Profissional farão jus, a título de auxílio financeiro, ao valor mensal correspondente a 50% do vencimento da classe inicial do cargo de Agente Penitenciário: R$ 578,71.

São disponibilizadas neste certame 600 vagas, sendo 480 para homens e 120 para mulheres, que tenham no mínimo 18 anos de idade, curso superior completo e carteira nacional de habilitação categoria B.

Estes profissionais devem atuar em jornadas de 40h semanais, com salário bruto correspondente a R$ 3.993,82, somados vencimento, gratificação fixa e auxílio alimentação.

Sob organização da Fundação de Estudos e Pesquisas Socioeconômicos (FEPESE), este certame válido por dois anos é composto de Prova Escrita, Prova de Capacidade Física, Avaliação de Aptidão Psicológica Vocacionada, Exame Toxicológico, Investigação Social e Curso de Formação Profissional.

Está previsto para o dia 1 de dezembro de 2019, a realização da Prova Escrita, a partir das 13h, sendo necessário que o candidato compareça com uma hora de antecedência. Esta avaliação será aplicada nas cidades de: Blumenau, Chapecó, Criciúma, Grande Florianópolis, Itajaí, Joinville e Lages, e terá duração de cinco horas.

Questões de Língua Portuguesa, Raciocínio Lógico, Direitos Humanos, Direito constitucional, Administração Pública, Direito penal, Legislação Especial, Direito Processual Penal, Legislação Estadual, Lei de Execução Penal e Sociologia Aplicada farão parte do conteúdo da Prova.


sexta-feira, 8 de novembro de 2019

Câmara aprova em 2° turno PEC que cria Polícia Penal

Agentes penitenciários acompanharam a votação da proposta nas galerias do Plenário

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (6), em segundo turno, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 372/17, do Senado, que cria as polícias penais federal, dos estados e do Distrito Federal. A matéria foi aprovada por 385 votos a 16 e será enviada à Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) para elaboração da redação final. Em seguida, será promulgada.

Também foi aprovado, por 378 votos a 5, o destaque do PL que retirou do texto a possibilidade de lei específica de iniciativa do Poder Executivo definir outras atribuições para as polícias penais, além da segurança de estabelecimentos penais.

De acordo com a PEC, o quadro das polícias penais será formado pela transformação dos cargos isolados ou dos cargos de carreira dos atuais agentes penitenciários ou equivalentes e também pela realização de concurso público.

A nova polícia será vinculada ao órgão administrador do sistema penal da unidade federativa a que pertencer.

No Distrito Federal, assim como ocorre com as outras corporações, a polícia penal será sustentada por recursos da União, embora subordinadas ao governador do DF.

Partidos
Apenas o partido Novo manifestou o voto contrário à criação das polícias penais. O líder do partido, deputado Marcel Van Hattem (RS), disse que é contra o texto por considerar que ele pode frear privatizações e parcerias privadas no setor.

“Percebemos, entre os favoráveis da proposta, interesse muito grande em evitar futuras privatizações de presídio. Entendemos que é importante haver sim aqueles agentes que cuidam das penitenciárias, mas também é importante que haja uma parceria público-privada em muitas instituições desse tipo”, disse Van Hattem.

O Psol optou por liberar a bancada. Todos os demais, no entanto, votaram a favor.

O deputado Lincoln Portela (PL-MG) defendeu a votação da proposta sob gritos de “polícia penal já”. 

terça-feira, 5 de novembro de 2019

STF derruba regra de lei de RR que limita idade máxima de 35 anos para ingresso na PM e Bombeiros

STF derruba regra de lei de RR que limita idade máxima de 35 anos para ingresso na PM e Bombeiros

Ministros afirmam que não há razoabilidade para critério de limitação aos 35, embora estados tenham autonomia para limitar idade de acordo com as peculiaridades do local.


O Supremo Tribunal Federal julgou inconstitucional o trecho da a Lei 430/04 que limita a idade de 35 anos para ingresso na Polícia Militar e no Corpo de Bombeiros em Roraima. A decisão foi publicada nesta segunda-feira no Diário da União (DOU).

A ação direta de inconstitucionalidade foi requerida por um procurador-geral da república e o relator do caso foi o ministro Roberto Barroso. A norma foi derrubada pela maioria do pleno, somente os ministros Gilmar Mendes e o Dias Toffoli, presidente do STF, votaram contrários a derrubada. O ministro Celso de Mello estava de licença médica.

A lei foi sancionada em 2004, pelo então governador Flamarion Portela. A norma dispõe sobre normas para ingresso de serviço na Polícia Militar e nos Bombeiros, sendo que o artigo 5º a idade ficava limitada a no máximo 35 anos.

Já o artigo 3º da Lei Federal nº 10.029 de 2000 estabelece o requisito etário máximo de 23 anos. O plenário também considerou inconstitucional "por violar a razoabilidade, ao estabelecer o limite etário máximo de 23 anos".

"Na lei roraimense o limite não é tão estreito, mas, ainda assim, não há justificativa razoável para a limitação etária legal diante das atribuições do cargo a ser preenchido", diz um trecho da decisão.

Desde 2018 um concurso da Polícia Militar está em andamento em Roraima. Nele, consta a regra de que os candidatos têm de terno máximo 35 anos. O certame já foi suspenso e após protestos de concurseiros e aplicação de recursos da Assembleia Legislativa de Roraima (Ale-RR) para garantia da continuidade, o governador Antonio Denarium (PSL) optou pela manutenção do cronograma.